26 de setembro de 2010

Dungeons & Dragons Online (PC - MMO) (****)

- Dungeons & Dragons Online (PC - MMO) (****)

Pessoalmente eu não sou muito fã de MMORPG (Massive Multiplayer Online Role Playing Game, jogos multiplayer massivos, com milhares de jogadores conectados, como World of Warcraft ou Tíbia), mas como uns amigos meus imploraram, resolvi aderir a Dungeons & Dragons Online (conhecido como DDO) para ajudá-los lá.

DDO surgiu à alguns anos, na época da fama de Neverwinter Nights e da 3ª edição do RPG "de mesa" Dungeons & Dragons. A idéia da então Wizards of the Coast era ter um concorrente direto para o recém lançado World of Warcraft, pegar os jogadores do RPG "de mesa" e também o apetitoso mercado asiático ávido por MMOs.

Pena que a coisa não foi muito bem. A China e a Coréia firmemente agarradas em World of Warcraft não trouxeram o retorno esperado, o D&D "de mesa" não chegou firme no oriente atráves do MMO e a Wizards se viu em um "mato sem cachorro".

Com a compra da empresa pela Hasbro, os executivos dela tiveram um grande insight. Se não adianta apelar para o público oriental, que assina e paga mensalmente com cartão de crédito para jogar MMO, seria legal apelar pro público quebrado da América Latina, EUA, Canadá, Europa e até África, deixando DDO inteiramente grátis, quase como uma "propaganda" do RPG "de mesa" e ganhando uns trocados vendendo itens no jogo ou extras para fãs hardcore, que não se importam de pagar alguns dólares por um item especial ou raça nova de personagem.

Com isso os países latinos saíram ganhando. Tradicionalmente desconfiados em gastar dinheiro com jogos on-line, brasileiros invadiram em massa DDO, assim como americanos e europeus atingidos pela crise mundial. Afinal, quem não quer jogar um bom game, com excelentes gráficos e muita diversão sem pagar um centavo sequer (e sem recorrer à pirataria).

Graficamente, DDO não impressiona, mas também não faz feio. As texturas e as luzes em geral são boas o bastante para não deixar o game feio, mas também não são grande coisa. Afinal, o jogo todo roda on-line, e não se pode dar o luxo de esperar as placas de vídeo ou memórias RAM mais limitadas.

Os ambientes são bem desenvolvidos, incluindo a geografia. Alguns lugares tem barreiras invisíveis e arbitrárias, mas nada que prejudique muito a diversão. Alguns lugares são um pouco difíceis de encontrar, mas nada muito difícil.

A jogabilidade pega um pouco quem não tem costume de jogar MMO. A introdução é muito rápida, pouco útil e meio sem graça, e o jogo meio que "te larga" do nada no meio de uma vila, sem saber muito o que fazer, com quem falar ou pra onde ir.

Felizmente a comunidade de DDO é bem mais amigável que na maioria dos MMO por aí. Claro que sempre tem um "troll" (nome dado a pessoas sem educação na internet) ou outro no chat do jogo, falando mal dos "noobs" (corruptela de "Newbie" ou "New By", em inglês, termo que significa alguém novo em algum lugar, recém chegado). Mas qualquer dúvida, basta gritar no chat que logo alguém te ajuda, muitas vezes até passo-a-passo, acompanhando seu personagem nas missões dele.

Também é comum encontrar pessoas que falam português, tanto lusitanos quanto brasileiros e às vezes até africanos. Ou seja, mesmo que você não seja muito bom em inglês, não vai se sentir sozinho por lá.

Uma sacada interessante é manter jogadores mais experientes longe dos iniciantes. Conforme você vai progredindo nas missões, vai passando a "ver" as cidades apenas com jogadores com mais-ou-menos seu nível. Isso evita um certo repúdio que os veteranos tem pelos noobs neste tipo de jogo.

Mesmo sendo recém-chegado, é comum ser convidado para guildas (associações de jogadores), grupos de pilhagem ou simplesmente topar com alguém falando "oi" e querendo compania. Em outros MMOs que eu experimentei, muitas guildas simplesmente proíbem participantes iniciantes, e muitos jogadores ignoram qualquer tentativa de aproximação. Felizmente em DDO a comunidade em geral é muito mais receptiva.

As missões são bem formuladas, evitando aquela mania de criar "missões de carteiro", onde você tem que levar encomendas de um lado para o outro. Na maioria delas há labirintos bem montados, enigmas divertidos e muito combate.

DDO, no fim das contas, é um bom game de ação medieval. A comunidade on-line é receptiva e simpática, os controles não são muito diferentes do que todos nós estamos acostumados e a parte gráfica e sonora não é ruim, os combates são divertidos e as missões são bem construídas. No entanto, os gráficos e a parte sonora também não são tão boas quanto poderiam ser, e o jogo como um todo parece bem inocente (meio estilo World of Warcraft), sem muito sangue ou violência.

Para você que gosta de MMO, não tem grana para pagar World of Warcraft e não quer jogar Tíbia, é uma boa pedida. faça o download em http://www.ddo.com

2 comentários:

  1. Sem duvida é o melhor que já joguei.

    ResponderExcluir
  2. Este jogo é incrível. Vale a pena conferir!!!

    ResponderExcluir